Fundo Amazônia: estudo de Alumni investiga de que maneira a plataforma colaborativa impacta na produção

Resultados de plataforma colaborativa apontam para a importância de políticas públicas que incentivem a colaboração como estratégia

imagem

O artigo Fostering sustainable production via the Amazon Fund collaborative platform, de autoria de Eduardo Bizzo, Alumni do Mestrado Profissional em Administração Pública (MAP) e doutorando da FGV EBAPE, em parceria com seu orientador, Gregory Michener, professor da Escola e coordenador do Programa de Transparência Pública, analisa de que maneira a Plataforma Colaborativa Fundo Amazônia é capaz de influenciar as iniciativas de produção sustentável na região.

O artigo, publicado recentemente na revista Sustainable Development, traz resultados que indicam que os projetos executados por meio de arranjos colaborativos contribuem significativamente para aumentar o valor da produção proveniente da floresta em pé e das agroflorestas nos municípios atendidos.

Entre 2010 e 2017, houve um aumento anual médio na produção municipal de pelo menos 1 milhão de reais. Embora o aumento não seja imediato, já que o impacto positivo na produção torna-se evidente no quarto ou sexto ano após o início dos projetos, é bastante significativo.

“A partir da experiência do Fundo Amazônia, o estudo oferece evidências empíricas sobre o potencial dos instrumentos de financiamento para Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+) em fortalecer as cadeias de valor da bioeconomia por meio da promoção de arranjos colaborativos”, explica o pesquisador.

Segundo Bizzo, os resultados do Fundo Amazônia, ao agir como uma plataforma colaborativa - isto é, uma estrutura que promove redes e projetos colaborativos ao longo do tempo - destacam a importância das políticas públicas que incentivem a colaboração como estratégia para lidar com desafios socioambientais complexos.

Sobre o Fundo Amazônia

O Fundo Amazônia, considerado uma plataforma colaborativa, capta doações para investimentos não-reembolsáveis para ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, e de promoção da conservação e do uso sustentável da Amazônia Legal. Também apoia o desenvolvimento de sistemas de monitoramento e controle do desmatamento no restante do Brasil e em outros países tropicais.


Sobre os Programas

O Mestrado em Administração Pública (MAP) e o Doutorado em Administração estão com inscrições abertas até os dias 24/05 e 29/11, respectivamente. As informações detalhadas sobre os programas, processo seletivo e disciplinas estão disponíveis na íntegra em cada página.

A A A
High contrast