FGV EBAPE sedia competição internacional da NASPAA

Simulação reuniu estudantes de várias partes do mundo em desafio sobre política migratória, direitos humanos, economia e outros fatores

imagem

No dia 02/03, a FGV EBAPE sediou a competição internacional NASPAA Student Simulation Competition: uma oportunidade para os alunos se conectarem, competirem e aprenderem por meio da experiência.

A competição, organizada pela acreditadora NASPAA, teve como tema central os desafios relacionados à migração forçada e ao acolhimento de refugiados por parte das nações. Milhares de estudantes da rede global da NASPAA participaram da competição de simulação, que a cada ano examina uma questão política multifacetada diferente. A simulação ocorreu ao longo de dois sábados completos, em 12 universidades ao redor do mundo, realizando as atividades nos dias 24/02 ou 02/03/2024, das 9h às 17h, seguindo o horário de cada localidade participante.

A simulação ofereceu uma experiência educativa e emocionante para os alunos ao redor do mundo, enquanto competiam e interagiam em um evento de aprendizado imersivo por meio de uma simulação computacional voltada para a educação em serviços públicos.

Desenvolvido especificamente para alunos de Administração Pública, Nações Anfitriãs: Uma Simulação de Refugiados é uma ferramenta de aprendizado experimental baseada na web. Assumindo papéis como Primeiro-Ministro, Ministro do Trabalho ou Ministro da Saúde e Serviços Humanos, os alunos trabalharam em equipes para gerenciar um influxo de migrantes. Cada jogador foi responsável por um portfólio de políticas distintas, e a tomada de decisões afetou não apenas seu próprio país, mas também as outras equipes.

O jogo desafiou os alunos a ponderarem direitos humanos, integração e crescimento do PIB contra restrições orçamentárias e resistência política. As equipes foram avaliadas com base em pontuações de simulação, habilidades de negociação e apresentações feitas aos juízes dos locais regionais.

A simulação das Nações Anfitriãs desafiou os alunos a desenvolverem políticas eficazes e equitativas, considerando as diversas necessidades de diferentes populações, interpretando dados para avaliar e ajustar decisões políticas, praticando a tomada de decisões inclusivas e navegando por relações intergovernamentais desafiadoras e assimétricas.

Resultados de alunos da FGV EBAPE confirmam excelência da escola

Para a professora Aline Menezes, Coordenadora do Mestrado Profissional em Administração Pública (MAP) e uma das juízas da competição, a expectativa em torno do evento foi significativa desde a acreditação da FGV EBAPE pela NASPAA em outubro de 2023. Isso porque em sua última participação, no ano de 2019, os alunos da FGV EBAPE venceram o desafio.

“Tivemos uma grande adesão dos alunos, e como temos participantes do MAP, do MEX, doutorado e Alumni, ainda é possível promover uma ótima integração entre eles. Como estão em diferentes estágios profissionais, também podem se beneficiar disso. É uma experiência de troca muito rica, e estamos muito orgulhosos dos nossos alunos”, afirma a professora Aline.

A professora Aline explica também que, por ser uma competição global, quando inseridas as notas dos alunos da FGV EBAPE na plataforma, comparando os dados com o de outros estudantes, os resultados são extraordinários: “Temos quesitos crescentes, que vão de bronze a platina. Nossos alunos receberam medalha de platina em quase tudo! Temos também muitas de ouro, pouquíssimas de prata e nenhuma de bronze. Essa é a confirmação de que somos a melhor Escola de Administração do Brasil, e estamos entre as melhores do mundo”, comemora a professora.

Stacy Drudy, supervisora da simulação no Brasil, destaca a importância para os alunos de tangibilizar conceitos aprendidos durante os estudos, visto que as ferramentas de simulação utilizadas apresentam resultados imediatos para as decisões tomadas.

“Seria algo que, na vida real, levaria algum tempo, mas na competição eles conseguem ver na hora, em um ambiente de baixo risco, quais as consequências para as decisões que são tomadas e as políticas formuladas. E todo esse aprendizado é baseado em dados, o que possibilita decisões consistentes e embasadas”, afirma Stacy.

Sobre a participação dos alunos da FGV EBAPE, ela destaca o perfil acolhedor e comprometido de todos os participantes: “todos refletiram muito para tomar decisões cuidadosas e conscientes durante o desafio, e acho que isso diz muito sobre a formação que recebem e os resultados que vão colher”, complementa Stacy Drudy.

Para o professor Roberto Pimenta, vice-diretor administrativo da FGV EBAPE, a participação dos alunos é motivo de muito orgulho: “Desejo que na próxima edição tenhamos ainda mais alunos participando e vencendo todas as competições do mundo”, finalizou.

Sobre os benefícios da simulação participativa

As equipes foram avaliadas por um júri composto pela professora Aline Menezes e dois profissionais da prática: Thales Treiger e Melissa Abla.

Thales Treiger é Defensor Público Federal, membro ativo de um comitê voltado para o atendimento de refugiados e migrantes. Segundo ele, “trazer a tecnologia da informação e a ludicidade para a competição é muito interessante, e torna ainda mais envolvente a reflexão e a busca por uma resolução para esses problemas que são complexos e ao mesmo tempo práticos”, afirma.

Já Melissa Abla, Coordenadora da Frente de Juventude e Coordenadora Nacional do Programa Jovens Construtores, o destaque vai para as relações interpessoais a partir de um instrumento pré-definido, que é a simulação. “A maneira como um grupo recém-construído interage para encontrar e definir estratégias para a resolução de problemas complexos é muito interessante. Ao longo do dia, tivemos contato com pequenas partes de uma mesma história, mas na apresentação final eles vão nos contar a história inteira. Estou curiosa para ver como vai ser”, complementa Melissa.

Para Alessander Jannucci, membro do grupo representante da nação URMM, vencedora da competição, o mais marcante na simulação foi compreender que o desafio traz oportunidades. “A diversidade, desde que compreendida e respeitada, é um fator de crescimento, valorização e reafirmação da natureza humana. O dia de hoje superou as expectativas - além de ter sido muito especial, é um aprendizado que vai ficar para sempre”, diz o estudante.

Amanda Carolino Santos, alumni da turma do MAP 2020, fala sobre o prazer de estar em contato com tantos membros da comunidade Ebapeana, fortalecendo seu networking, e também sobre o formato da competição.

“Acredito que seja algo mais comum no exterior, mas aqui no Brasil ainda não vemos tanto esse tipo de competição, com base em simulação. Além disso, me surpreendi bastante com o resultado, pois acreditei que a nação que tinha mais dinheiro ia ganhar. No final, foi justamente o contrário, foram as soluções trazidas pelos representantes do país mais pobre que fizeram a diferença”, finaliza Amanda.

Alunos do MAP participam da competição também no exterior

Dois alunos do MAP foram selecionados para representar a FGV EBAPE na simulação sediada em San Diego State University, Califórnia, Estados Unidos: Lara Freitas e Josmar Crystello. Segundo Lara, com exceção dela mesma e de Josmar, todos os estudantes eram das mais diferentes escolas da Califórnia, como a Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), Universidade do Sul da Califórnia (USC) e a Universidade Estadual de San Diego. “Eram oito times no total, sendo dois mundos competindo com quatro times cada. Somente os três melhores conquistaram o direito de apresentar suas propostas de políticas públicas. Meu time ficou no top 3, foi uma experiência muito legal.”

Qual é o próximo passo?

As equipes vencedoras de cada local serão destacadas no boletim informativo da NASPAA. As gravações das apresentações das equipes vencedoras e os memorandos de políticas serão encaminhados a um painel de super juízes para uma última rodada de avaliação e pontuação. No final do mês de março, um painel composto por juízes proeminentes determinará as equipes vencedoras globais dos prêmios de 1º, 2º e 3º lugares.

Galeria

A A A
High contrast