Artigo do pós-doutorando, Marcelo Guzella, ganha primeiro lugar no Prêmio BID-SBFin em desenvolvimento sustentável e inovação

O estudo, que trata do aprimoramento dos impact bonds utilizados para políticas públicas em diversos países, foi o primeiro artigo premiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Sociedade Brasileira de Finanças.

Image

O artigo “The authentic Bee-Coin: A tokenized financial instrument for revenue-generating projects with social or environmental impact” produzido pelo pós-doutorando da FGV EBAPE, que atua na Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais, Marcelo Guzella, em co-autoria com os pesquisadores da UFMG, Geraldo Fernandes e Yumi Oki, ganhou o primeiro lugar no Prêmio BID-SBFin, uma parceria entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Sociedade Brasileira de Finanças. A premiação incentiva o desenvolvimento de pesquisa acadêmica sobre financiamento e desenvolvimento sustentável, assim como de propostas inovadoras, com soluções viáveis.

imagem

O modelo proposto é um aprimoramento dos contratos de impacto (impact bonds) que têm sido utilizados para políticas públicas em diversos países. Com ele, há uma adequação do sistema de incentivos e da relação entre risco e retorno de projetos que geram receita, vinculando uma compensação por impactos socioambientais. Também é proposta a tokenização das frações representativas da propriedade dos projetos para dar mais transparência e rastreabilidade para essa compensação. No trabalho, simulamos os efeitos desse mecanismo em um projeto de apicultura descentralizada sendo concebido em Minas Gerais, obtendo resultados interessantes. A CODEMGE está contribuindo com a estruturação do projeto e prospecção de investidores. Nosso modelo também pode ser utilizado em projetos envolvendo outras culturas e setores, gerando ganhos de diversificação e possibilidade de selecionar as intervenções mais eficazes”, explica Marcelo Guzella.

Para o pesquisador, a premiação demonstra o reconhecimento de que estão no caminho certo em termos da concepção do projeto e da utilização de sistemas de compensação por impacto socioambiental. O modelo não elimina os riscos do projeto nem garante sua viabilidade, mas sinaliza o valor da ideia, da tokenização para ESG, da pesquisa e inovação pública e das parcerias público-privadas.

Ao falar do pós-doutorado na FGV EBAPE, Marcelo ressalta que o programa tem fundamental importância nos avanços em seus objetivos de pesquisa e ensino. “Além de contribuir para o desenvolvimento de pesquisas que integram conceitos de finanças e estratégia, a FGV EBAPE criou condições para expansão de conhecimento e interações com um renomado corpo docente. Tenho uma profunda gratidão pela instituição, e particularmente por meu orientador e pelo coordenador do programa, professores Olivier Bertrand e Lars Norden”, completa o pesquisador

 


SOBRE O PÓS-DOUTORADO

O programa de Pós-doutorado da FGV EBAPE busca atrair pesquisadores interessados em alavancar seus conhecimentos e habilidades em um ambiente que estimula a pesquisa de primeira linha. Foca em pesquisadores, que desejam despender tempo adicional para aperfeiçoar suas habilidades de pesquisa, tornando-se mais competitivos no mercado de trabalho em geral e dentro das áreas de competência da própria Escola (Ciências Comportamentais e de Tomada de Decisão; Estratégia, Gestão e Organizações; Finanças; e Instituições, Política e Governo). Acesse a página do programa.

 

 

A A A
High contrast