Notícias

(Última atualização: 13/09/2017 - 16:58)
01/09/2017

Nova edição RAP traz estudos sobre relação entre política e administração pública

A edição 4 de 2017 da Revista de Administração Pública (RAP) está disponível para leitura. O periódico, editado há 50 anos pela Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da FGV (EBAPE), traz dez artigos que se localizam na interface da política com a administração pública. A complexidade desse simbiótico vínculo caracteriza o cerne das pesquisas da nossa área e as contribuições dos manuscritos aqui reunidos evidenciam diversas facetas dessa relação.

O primeiro grupo de artigos analisa a relação entre o crescimento econômico, nas suas diversas dimensões, e a política. Luciano Gomes Gonçalves, Bruno Funchal e João Eudes Bezerra Filho concluem que o fomento ao crescimento econômico via investimento público em infraestrutura não é impactado de forma significativa pela ideologia do partido que está à frente do governo estadual, mas apenas pelo calendário eleitoral. Por outro lado, Ivan Filipe de Almeida Lopes Fernandes e Gustavo Andrey de Almeida Lopes Fernandes apresentam evidências de que o crescimento econômico local impacta positivamente a porcentagem de votos obtidos pelo incumbente. Essa relações “não correspondidas” se refletem em altos custos de governar, conforme se analisa no trabalho de Frederico Bertholini e Carlos Pereira, custos estes que são maiores em coalizões grandes, ideologicamente heterogêneas e despro­porcionais.  

O segundo grupo reúne estudos que diagnosticam o estágio atual das finanças públicas nos entes federativos do Brasil, assim como variáveis que influenciam a qualidade do gasto público e seu impacto no crescimento. Paulo Rogério Faustino Matos analisa se o esforço de cada ente federativo em gerar fontes alternativas de financiamento se traduz em geração de bem-estar social. Luiz Carlos Ribeiro Neduziak e Fernando Motta Correia diferenciam os gastos produtivos dos improdutivos e seu impacto no crescimento econômico no período de 1995-2001. Andre Carlos Busanelli de Aquino e Ricardo Rocha Azevedo indicam que a fraca regulação dos restos a pagar não processados está reduzindo seriamente a credibilidade e a transparência do orçamento em todos os níveis de governo. Por fim, Camila Furlan da Costa, Igor Baptista de  Oliveira Medeiros e Guilherme Brandelli Bucco analisam política pública de financiamento da cultura, evidenciando que os recursos públicos são concentrados na mãos de poucos.

Por fim, três artigos analisam as relações de parcerias público-privadas. Miquel Salvador e Clara Riba identificam que as decisões de externalizar os serviços públicos são motivadas mais por questões pragmáticas do que por motivos ideológicos. As experiências podem ser positivas, como evidenciam Claudio José de Oliveira dos Reis e Sandro Cabral na análise das PPP das arenas esportivas para a Copa do Mundo de 2014. O papel intermediador dos gestores de médio escalão na melhoria da complexa relação principal-agente que caracteriza as PPP é evidenciado no artigo da Clara Brando de Oliveira e Joaquim Rubens Fontes Filho que destacam como esse burocrata municia o principal de dados sobre as reais condições de desempenho pregresso do agente e do cumprimento dos termos acordados no contrato. 

De periodicidade bimestral, a RAP é classificada como A1 na área de Ciência Política e Relações Internacionais e A2 na sua principal área Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo pela CAPES e tem a professora Alketa Peci como Editora-chefe. 
Este ano o periódico comemora o seu 50º aniversário. Para celebrar este marco, nos dias 20 e 21 de junho de 2017, em parceria com a Escola Nacional de Administração Pública (Enap) foi realizado o seminário “Desafios no Campo da Administração Pública: Ensino, Profissionalização e Pes­quisa”. As apresentações dos palestrantes estão disponíveis no site de hospedagem da Enap.

O conteúdo desta edição está disponível no site.

Galeria: